A tecnologia dominou os eventos paralelos ao jantar dos correspondentes da Casa Branca

O jantar anual dos correspondentes da Casa Branca  é considerado uma das festas tradicionais do calendário de eventos americano. A edição de 2016, que aconteceu no final de abril, no grande salão do Hotel Hilton de Washington, reuniu aproximadamente 3.000 convidados, dentre jornalistas, celebridades, políticos e autoridades. O jantar é o centro de uma série de eventos que ocorrem paralelamente. O 102º jantar foi marcado pelo bom humor do presidente Obama que, em seus últimos meses de mandato, aproveitou para brincar sobre como será sua vida após se aposentar da Casa Branca.

Jantar dos correspondentes da Casa Branca

Fonte: http://www.bizbash.com/

Brincadeiras à parte, quem levou a sério o evento foram as empresas de tecnologia, que se juntaram às mídias tradicionais para criar engajamento através de games e ações locais, que levaram os convidados compartilharem nas redes tudo o que estavam presenciando.

O Google aproveitou a ocasião para apresentar seu Instituto Cultural: através de tecnologia touch-screen, os convidados podiam navegar por coleções de arte de museus ao redor do mundo, que é justamente o objetivo do programa.

Cabines de fotos tradicionais e em suas versões 360 graus estavam presentes em muitas festas, como a do Washington Post, Twitter, MSNBC e CNN. No evento da Thomson Reuter, as fotos dos convidados foram incorporadas à decoração da festa, com as imagens passando em aparelhos Samsung Galaxy Note alinhados na decoração de uma das paredes.

Ainda na festa da Reuter, uma experiência de realidade virtual mostrava através de um vídeo imersivo como é para os jornalistas cobrir a Casa Branca – as sequências incluíam cenas de uma coletiva de imprensa, a Sala Oval, o Garden Rose com os pets Sunny e Bo, dentre outras.

A Atlantic Media organizou uma série de eventos, como um café da manhã com um painel de celebridades, atletas, senadoras e jornalistas, todas mulheres, discutindo a desigualdade de gêneros.

No evento “Swipe the Vote” (na tradução livre, “Passe o Voto”) do Tinder e Independent Journal, grandes cartazes imitando perfis de relacionamento, com fotos dos candidatos (à presidência americana) jovens, decoraram o corredor por onde os convidados chegavam. E nas cabines de votação, os convidados podiam ‘deslizar para a direita’ (como o mecanismo do Tinder quando se gosta de alguém) para votar para o rei e rainha do baile.

Relacionamento com fotos dos candidatos

Fonte: http://www.bizbash.com/

No evento do Washington Post os convidados puderam ter um gostinho de como será sua série de vídeos em 360 graus, filmada em Galápagos, e que será lançada brevemente no site do jornal e canal do YouTube.

Você pode conferir mais do que aconteceu nessa compilação do Bizbash.

Comentários