Burning Man: uma cidade criada (e depois destruída) só para um evento

Você já ouviu falar no festival Burning Man?

O Burning Man é uma rede de pessoas inspiradas pelos valores refletidos nos “Dez Princípios” (explicaremos quais são eles mais adiante) e unidos pela busca de uma existência mais criativa e conectada.

Burning Man: uma cidade criada só para um evento

O movimento nasceu em 1986, quando o carpinteiro Larry Harvey e seu amigo Jerry James, insatisfeitos com o mundo, resolveram improvisar uma figura de madeira de 2,5 metros de altura e colocá-la em Baker Beach (São Francisco) no solstício de verão. Eles começaram a queimar a estátua e um grupo de curiosos começou a se juntar para ver o que estava rolando por ali.

Nos anos seguintes o evento da queima foi atraindo cada vez mais gente, até que teve que mudar de local. Em 1990 aconteceu o primeiro festival no deserto de Nevada e o Burning Man foi ganhando mais popularidade e mais dimensão – das 35 pessoas iniciais, de 1986, o evento conta hoje com 70 mil participantes, uma estátua de 32 metros, performances, muita arte, carros decorados, muitas invenções criativas e tecnologia.

Festival Burning ManThe Man over the Mystic Midway, 2015. Foto de Bill Klemens.

Dizem que o Burning Man é o maior festival de contracultura do mundo. Pelo seu tom hippie, alguns o comparam ao Woodstock da Era Digital. Na realidade é um experimento social que busca ser uma alternativa para a cultura de massas e a sociedade consumista.

Burning Man: Uma cidade construída só para um eventoPôr do sol no R-Evolution de Marco Cochrane, 2015. Foto de Mark Hammon.

Durante todo o ano é construída a Black Rock City, uma cidade no meio do deserto, onde o festival acontece. Pessoas nuas com os corpos pintados, barracas enfeitadas, instalações gigantescas, sol forte, é o que se vê por lá. O Burning Man celebra a vida em comunidade, a arte, a liberdade de expressão artística, a autossuficiência, a meditação, a tecnologia e uma sociedade livre de capital, e qualquer outra coisa que rompa a barreira dos costumes e do capital. A ideia é que não importa o que você faça, desde que seja criativamente e sem medo do ridículo.

Tudo é organizado pelos participantes e não se paga por praticamente nada. Apenas o espaço é oferecido – com uma infraestrutura mínima para as necessidades fisiológicas. Cada um é responsável por levar seus mantimentos e recursos para sobreviver na semana do evento. Como o festival acontece no meio deserto, vale lembrar que nem água e nem vegetação tem por ali.

Festival Burning ManTemple of Promise de Dreamers Guild, 2015. Foto de luksz.

Veja os 10 princípios do Burning Man:

– Inclusão Radical
– Presentear
– Desmercantilização
– Autoconfiança radical
– Autoexpressão radical
– Esforço comum
– Responsabilidade civil
– Não deixar traços
– Participação
– Urgência

No último dia do evento as instalações da cidade são queimadas, simbolizando o encerramento de um ciclo. Não sobra nenhum lixo. Tudo é deixado exatamente como foi encontrado.

Burning Man: A cidade construída só para um eventoBurning Man Fury Road, 2015. Foto de John Chandler.

O Burning Man desse ano acontecerá entre 28/08 e 05/09.

Dizem que é daquelas experiências que precisamos viver uma vez na vida.

Deu vontade de ir?!

Imagens do site Burning Man.

Comentários