Novas regras de etiqueta dos eventos corporativos

Você conhece as novas regras de etiquetas dos eventos corporativos? Porque, convenhamos, os tempos mudaram. Só o que não mudou é saber se comportar bem em qualquer ocasião – em eventos corporativos então, nem se fala!

Jogar Candy Crush em eventos corporativos, definitivamente, não é legal.

Novas regras de etiqueta dos eventos corporativos

Claro, algumas regras não mudam nunca, como respeitar horários. Contudo, com o tanto de tecnologia que nos cerca hoje – smartphones, tablets e outros aparelhos eletrônicos ultra modernos – mais nossa agenda cada vez mais apertada que muitas vezes torna difícil para qualquer pessoa comparecer a todos os eventos que é convidada, dá para ficar um pouco confuso sobre o que é ou não é mais aceitável na etiqueta dos eventos corporativos. Alguns experts ajudaram o site Bizbash a montar uma lista com dicas de como se comportar bem como convidado de um evento e nós trouxemos aqui os pontos que achamos mais interessantes.

Dicas para seus convidados – as novas regras de etiquetas dos eventos corporativos

  1. Seja claro quanto ao horário
    Nunca deixe os convidados confusos quanto ao horário que devem chegar ao seu evento e prepare-se para recepcioná-los um pouquinho antes. E fica a dica para os convidados: chegar 10 minutos antes tudo bem, mais que isso poderá causar transtornos para o anfitrião, se ainda não estiver com tudo pronto para acomodar as pessoas. E chegar atrasado é grosseria, só é tolerável em casos de emergência.
  2. Informe os convidados sobre o traje
    A dica para os convidados de eventos corporativos é: o traje deve estar de acordo com o cliente e o evento. Se for em um iate, por exemplo, vista-se casualmente. Mas se for uma reunião no ambiente corporativo, se vista de acordo. Isso demonstra respeito ao cliente.
  3. Permita aparelhos eletrônicos em eventos ou reuniões
    Hoje em dia, durante uma reunião, é normal que os participantes tomem nota em smartphones ou tablets. Contanto que não estejam usando o aparelho para games, e-mails ou redes sociais, não há problema algum. Só não vale deixar no modo sonoro ou atender ligações dentro da sala. Se precisar mesmo atender um telefonema, vá para o lado de fora.
  4. Seja o primeiro a pedir bebida alcoólica
    Em eventos corporativos como almoço ou jantar, os convidados costumam pedir bebida alcoólica só depois que o anfitrião pede. Se ele não tomar a frente, a etiqueta dos eventos corporativos pede que os convidados aguardem.
  5. Ofereça credenciais
    Isso ajuda os convidados do seu evento corporativo a memorizar os nomes e empresas ou cargos dos demais. Se houver dúvidas sobre qual lado colocar a credencial: ela deve ser posta do lado direito. Quando as pessoas estendem o braço para cumprimentar outra, a linha da visão é para o lado direito dessa outra pessoa.
  6. Não monopolize o tempo de ninguém
    Em um evento corporativo de networking, é aconselhável falar no máximo 10 minutos com cada pessoa. Para não abandonar alguém sozinho, aproveite para introduzi-lo a outro convidado. Assim, todos saem ganhando.

Novas regras de etiqueta dos eventos corporativos

Resumindo: boa etiqueta em eventos corporativos nunca é demais.

Em dúvida sobre o que servir no seu próximo evento corporativo?

Se você estiver em dúvida sobre o que servir no seu próximo evento corporativo, pense no perfil do público, no tipo de evento, na sua duração, no espaço e suas limitações e possibilidades e, claro, sempre sem perder o foco do budget. Na grande maioria dos eventos corporativos, os momentos das refeições servem não apenas para alimentar e descontrair, como também para se fazer networking.

O que servir no seu próximo evento corporativo?

Que tipos de serviços podem ser oferecidos no meu próximo evento corporativo?

Café da manhã
Se o evento corporativo que você está organizando começa logo cedo, os convidados normalmente irão esperar que um café da manhã seja servido na recepção – principalmente em cidades grandes como São Paulo, em que o tráfego e a distância exigem que as pessoas saiam com bastante antecedência de casa. O serviço de buffet americano – em que as pessoas se servem e comem em pé mesmo – é uma opção prática amplamente adotada.

Brunch
Se seu evento corporativo estiver agendado mais para o meio da manhã e for se estender até o meio da tarde, você poderá servir um brunch – os alimentos e bebidas que compõem o brunch assemelham-se ao café da manhã, mas pode conter alguns itens um pouco mais pesados. Caso servir um almoço para os convidados não seja o mais conveniente para o seu evento corporativo, o brunch é uma ótima alternativa.

O que servir no seu próximo evento corporativo?

Almoço
O almoço é muito indicado para eventos corporativos longos, que começam cedo e vão até o fim da tarde ou até a noite. Nessas ocasiões, a pausa para o almoço, além de recarregar a energia dos convidados, é também a hora que as pessoas têm para conversar, trocar ideias e fazer networking de uma forma mais informal. E funciona bem, tanto faz se todos se sentarem à mesa ou fizerem a refeição de pé mesmo.

Jantar
Geralmente mais formal e requintado, o jantar é uma opção excelente para eventos corporativos que pedem uma atmosfera mais sofisticada. Pode ser um evento agendado para a noite mesmo, ou também como encerramento de um evento que aconteceu ao longo do dia.

O que servir no seu próximo evento corporativo?

Coquetel
Ideal para eventos corporativos mais curtos, à noite, e que combinem com um ar mais informal. Ou então pode preceder o jantar – os convidados vão aproveitando o momento do coquetel para fazer networking, conversar, encontrar conhecidos, antes do jantar de fato, ou da palestra, apresentação, ou outra ação que seja o foco do evento.

Coffee Break
O coffee break não tem período do dia ideal para acontecer, depende mais da duração do evento. Certamente o tipo de serviço mais adotado nos eventos corporativos em geral, os coffee breaks são aqueles intervalos em congressos, palestras, cursos, em que os convidados fazem uma pausa breve para tomar um café, chá ou suco, comer algo leve, para depois retornarem à agenda do evento.

O que servir no seu próximo evento corporativo?

Negócios Sociais: A Gente Acredita. E Vocês?

Hoje queremos fazer uma pausa nos artigos sobre eventos por uma causa nobre – para abordar um tema que acreditamos muito: negócios sociais, ou economia social.

Para quem já ouviu falar em negócios sociais, mas não sabe muito bem como isso funciona, a Yunus Negócios Sociais Brasil, braço da Yunus Social Business Global Initiatives, traz uma definição super simples e clara:

“Negócios Sociais são empresas que têm a única missão de solucionar um problema social, são autossustentáveis financeiramente e não distribuem dividendos.”

Negócios Sociais: A Gente Acredita. E Vocês?Fonte: Yunus Negócios Sociais Brasil

O economista e banqueiro Prof. Muhammad Yunus, de Bangladesh, é o maior nome mundial quando se trata de negócios sociais. Super premiado – ganhou inclusive o Prêmio Nobel da Paz em 2006 –, Yunus é conhecido como o ‘banqueiro dos pobres’ por ter fundado o Grameen Bank – ele criou seu próprio banco para poder oferecer pequenos empréstimos aos pobres sem as garantias e exigências dos bancos tradicionais. Com isso, o pai do microcrédito e dos negócios sociais, como é conhecido, ajudou muitas pessoas, principalmente mulheres artesãs da zona rural de Bangladesh, a começarem empreender seus negócios. Como toda ideia boa, o ideal de Yunus se espalhou para praticamente o mundo todo.

Tanto que, pertinho de nós surgiu um projeto super bacana: o Instituto Chão, na Vila Madalena em São Paulo, abriu em maio desse ano com uma proposta mais que especial: vender produtos orgânicos e artesanais pelos preços do produtor. Isso mesmo, o empreendimento não visa o lucro, seus fundadores acreditam na economia social como uma forma de fomentar a autonomia, o cooperativismo, o comércio justo e o consumo consciente. E se você está se perguntando como eles se mantêm, a solução está nos frequentadores do local – uma mercearia e um café – que podem doar livremente qualquer valor no momento da compra, ou contribuir com um valor fixo mensalmente. Acima do caixa, um quadro com todas as despesas e arrecadações do instituto mostra que a transparência ali é um valor fundamental.

E vocês, conhecem mais gente empreendendo negócios sociais? Acredita que a economia social pode de fato estabelecer uma nova relação socioeconômica? Nós acreditamos fortemente nessa ideia e estamos ansiosos para ver mais negócios sociais nascendo!

Visita de inspeção: um checklist de perguntas para você não se esquecer de nada em um evento

Uma das fases cruciais no planejamento e produção de um evento é a visita aos possíveis locais onde acontecerá o evento. Por isso, para a visita de inspeção, preparamos um checklist de perguntas para você não se esquecer de nada em um evento e não ter surpresas desagradáveis quando não tiver mais tempo de trocar de local.

Dicas para criar um evento corporativo memorável

Checklist para uma excelente visita de inspeção

Partindo da premissa que a disponibilidade dos prováveis locais já foi checada, e que as datas das visitas de inspeção já foram agendadas, tenha em mãos a lista de perguntas abaixo para não deixar de tirar nenhuma dúvida importante ou deixar passar despercebido algum detalhe que possa influenciar o planejamento de seu evento no futuro:

  1. “O local comporta o número de convidados do meu evento?”
    Para economizar tempo, vale a pena checar essa informação antes de agendar a visita técnica. Se o local não comportar a quantidade de pessoas que irá ao seu evento (dentre convidados e staff), já pule para a próxima opção de espaço.
  2. “O local tem espaço para as atrações ou ações que acontecerão durante o evento?”
    Haverá algum show no seu evento, como uma apresentação musical, performance artística, ou mesmo palestras que necessitem de um palco ou um espaço que não atrapalhe a circulação? É um evento gastronômico e você precisará instalar uma cozinha pop-up com gás, eletricidade e encanamento de água? O produtor de eventos precisa ter em mente as ações que quer trazer para o local do evento, e checar itens como espaço disponível, acústica, eletricidade, enfim, fatores que dependem do tipo de atração.
  3. “Quero fazer o evento ao ar livre, mas caso chova, há algum espaço fechado no local?”
    Não dá para se prever o tempo com muita antecedência, por isso sempre ficamos reféns da meteorologia – e da sorte. Mas há maneiras de se contornar a situação, como verificando se o local tem um espaço fechado caso o produtor de eventos tenha que transferir o evento de lugar, sem comprometer o planejamento, ou se o local permite que a área aberta seja coberta, com uma tenda por exemplo.
  4. “Posso utilizar meus próprios fornecedores?”
    Alguns locais tem uma lista restrita de fornecedores com os quais o produtor de eventos pode trabalhar. Por isso, caso precise trabalhar com um fornecedor que não esteja nessa lista, aproveite a visita técnica para checar essa possibilidade, peça autorização e confirme se há cobrança de taxa.
  5. “Quando posso começar a montar e até quando posso desmontar meu evento?”
    Principalmente se seu evento for grande, é bom saber essas informações com antecedência para combinar o cronograma com seus fornecedores e orçar o custo dele em cima disso. Certifique-se que não haja custos adicionais com o local baseado no seu cronograma e, qual será o custo se for necessário alterar essas datas.
  6. “Onde é a carga e descarga?”
    Caso seja um local em que você nunca tenha feito evento, aproveite a visita técnica para fazer um tour também no espaço de carga e descarga. Pergunte quantas docas estarão disponíveis no dia e se haverá mais gente carregando ou descarregando ao mesmo tempo.
  7. “Qual a estimativa do custo de energia?”
    Faça essa pergunta para não ter surpresas desagradáveis no pós evento. E confirme se o local comporta a quantidade de equipamentos que serão utilizados, em caso de dúvida e por segurança, garanta seu evento com a contratação de gerador externo.
  8. “Que autorizações são necessárias para sediar o evento nesse local?”
    Dependendo do local, tipo de evento e ações que acontecerão, algumas autorizações legais devem ser solicitadas. Converse sobre isso na visita técnica e cheque quem será o responsável (você ou o local) por proceder com essas permissões.
  9. “Como funciona o estacionamento para fornecedores e convidados?”
    Em grandes cidades como São Paulo esse é um fator que precisa ser considerado. Tanto os fornecedores como os convidados vão querer saber onde poderão estacionar e se haverá custo.
  10. “Que outros eventos estarão acontecendo no local no dia?”
    Tanto por questões de barulho como por questões corporativas, é bom saber se outros eventos estarão acontecendo simultaneamente, e quais.
  11. “Como funciona a internet no local?”
    O produtor de eventos deve ver se a conexão será disponibilizada no local ou se precisará contratar um fornecedor para isso. Isso é importante especialmente porque hoje há muitos eventos com transmissão ao vivo. Cheque a banda e a possibilidade de ser ou não wifi.
  12. “Há oportunidades de divulgação no local para os patrocinadores do evento?”
    O local pode ter espaços específicos para venda ou exposição de produtos, por exemplo. Conheça todas as possibilidades durante a visita técnica para maximizar as oportunidades dos patrocinadores de seu evento.

Faça seus convidados colocarem a mão na massa

Faça seus convidados colocarem a mão na massa no seu próximo evento corporativo e eles ainda vão ficar felizes por isso!

Mas como assim? O produtor de eventos vai fazer os convidados trabalharem e eles vão gostar? Pois essa é uma grande forma de fazer com que as pessoas tenham uma participação realmente ativa em um evento, e interajam e vivenciem a experiência a fundo. Mas na verdade não é bem trabalho, está mais para diversão e entretenimento. A ideia é criar eventos onde os convidados possam, de alguma maneira, experimentar os produtos da marca realizadora ou patrocinadora do evento. Com uma pitada de criatividade é possível criar eventos corporativos super interessantes, tanto para as marcas envolvidas como para os convidados.

Faça seus convidados colocarem a mão na massaFonte: Bizbash

Por exemplo: uma marca de eletrodomésticos deseja lançar para a imprensa um novo produto de cozinha em um evento corporativo. Como tirar esse evento do lugar comum? Para tornar a ocasião muito mais dinâmica e fazer com que o evento tenha uma boa penetração na mídia, o produtor de eventos pode organizar um pequeno desafio: separar os jornalistas em grupos e criar uma competição em que eles precisarão criar receitas simples usando o novo eletrodoméstico. No final do evento, nada melhor do que premiar os vencedores com o produto que está sendo lançado.

Diversão garantida e chances enormes de boas críticas em sites, blogs e revistas.

As experiências personalizadas são uma tendência crescente no mercado de eventos. Os convidados não são mais coadjuvantes: transformados em chefs de cozinha ou barmen eles agora têm a oportunidade de criar suas próprias receitas e drinks. Essa experiência prazerosa vai imprimir neles uma imagem muito positiva sobre a marca envolvida.

Faça seus convidados colocarem a mão na massaFonte: Bizbash

Mas isso só vale para marcas alimentícias ou relacionadas? Certamente não. A Samsung realizou um evento em seu estúdio pop-up em Los Angeles que levou os convidados a uma experiência culinária junto com um chef convidado. Com a cozinha e os balcões dos participantes equipados com aparelhos da marca, os convidados receberam emprestado um Galaxy S6 para registrar a experiência. Depois do evento, foram presenteados com um livro personalizado com as receitas que ajudaram a preparar e que continha também as fotos tiradas.

Faça seus convidados colocarem a mão na massaFonte: Bizbash

Uma boa ideia para marcas de bebidas que também queiram propiciar grandes experiências a seu público é patrocinar eventos que possibilitem esse tipo de experiência personalizada. Ganha o patrocinador, o patrocinado e o produtor de eventos.

Faça seus convidados colocarem a mão na massaFonte: Bizbash

A experiência pessoal com a marca é o que seus convidados levarão na bagagem após um evento corporativo desse tipo.

A grana está curta? Seu evento pode sair do papel através do crowdfunding

Antes de decidir colocar na gaveta seu tão sonhado projeto de evento, pense se já explorou todas as oportunidades. Se o problema é que a grana está curta, saiba que seu evento pode sair do papel através do crowdfunding.

O crowdfunding, ou financiamento coletivo, nasceu do empreendedorismo coletivo – um projeto, seja ele de que área for, tem muito mais chances de acontecer quando as pessoas se unem para fazê-lo se tornar realidade. E como isso? Simples: através de doações de pessoas ou grupos interessados em que tal projeto saia do papel. É a união da coletividade por uma causa comum. O conceito é antigo, mas a forma como hoje o crowdfunding se dá, essa sim é relativamente nova. E simples. E prática. E melhor, com baixo risco financeiro tanto para quem teve a ideia como para quem estiver contribuindo.

Qualquer tipo de projeto pode tentar um financiamento via crowdfunding. E aí, claro, entram também os eventos. Por exemplo, se você quer produzir um show com uma banda, mas não tem budget suficiente para a contratação dos músicos ou a busca de uma empresa patrocinadora está travando o processo, o crowdfunding pode ser uma ótima solução.

Quer saber por onde começar?

Crowdfunding

Como usar o crowdfunding para realizar seu evento

  1. Defina o seu projeto de evento fazendo um orçamento detalhado de tudo. Desse montante, veja qual percentagem precisará ser captada.
  2. Uma boa ideia não é nada se as pessoas não souberem que ela existe. Divulgação é fundamental. Escolha dentre as plataformas de crowdfunding disponíveis hoje no mercado e coloque seu projeto de evento lá. Tudo é feito pela internet, sem complicações. O Catarse é uma plataforma brasileira que já ajudou a financiar mais de 1800 projetos e já movimentou R$31 milhões em doações. O Kickstarter é uma plataforma internacional muito forte e popular na maioria dos países. Só em 2014, mais de 22 mil projetos foram financiados por ele. Com o projeto no ar, divulgue o link em blogs e redes sociais e onde mais sua rede de contatos estiver.
  3. Aqueles que contribuírem com certeza o farão por alguma identificação com o evento que você quer realizar. Você pode querer trazer uma banda para seu evento e as pessoas do fã clube dessa banda podem ser aquelas que poderão doar algumas cotas. O risco financeiro é praticamente inexistente, já que as plataformas não cobram para que um projeto seja divulgado e, somente se a meta for alcançada ou ultrapassada, elas (as plataformas) ficam com uma percentagem pequena. Caso não seja atingida a meta, o valor é devolvido para quem colaborou. Para a proposta ficar mais atrativa, são oferecidas recompensas de acordo com os valores doados. Pode ser um ingresso para o evento que você pretende produzir, uma amostra de algum produto que será lançado no seu evento, etc. Quanto maior o valor, maior deve ser a recompensa.

Durante todo o processo, inclusive após a arrecadação, ter uma relação transparente com seus investidores faz toda a diferença. Deixe que eles saibam como está sendo usada a verba em cada etapa da produção do evento. Isso vai gerar confiança e segurança, inclusive para o financiamento de projetos futuros.

Food bikes ganham cada vez mais espaço em eventos corporativos

Elas não estão só pelas ruas e feiras gastronômicas. As food bikes ganham cada vez mais espaço em eventos corporativos também. O produtor de eventos, sempre antenados com as tendências que podem trazer a seus clientes, e esses próprios clientes, sempre na expectativa das novidades que lhes serão apresentadas, estão percebendo que adotar as food bikes em eventos corporativos pode ser uma alternativa ótima ao serviço de catering, ou um complemento.

Evento Corporativo com Food Bikes Eventos Corporativos com Food Bikes

Food Bike da The Travelling Family Company. Fotos: Facebook The Travelling Family Company

Vantagens de se adotar as food bikes em eventos corporativos:

– Assim como os food trucks, as food bikes são feitas com um capricho especial, a beleza estética é um dos seus chamarizes, a aparência ajuda a atrair as pessoas e abrir o apetite. No evento corporativo, as food bikes podem ser um elemento decorativo a mais no planejamento do produtor de eventos.

Eventos Food Bikes

Food Bike da Le Sacolé. Foto: Facebook Le Sacolé

– Com a proposta das food bikes, o produtor de eventos irá proporcionar aos convidados do evento corporativo – sejam eles os colaboradores, clientes, prospects ou parceiros de seu cliente – um tipo de gastronomia que está em alta nas ruas. As opções vão desde hambúrgueres e pizzas, passando por brownies, bolos caseiros, brigadeiros, salgados e sorvetes, até cafés, vinhos e cervejas. Sucesso garantido!

Food Bikes

Food Bike do Bike Burguer. Foto: Facebook Bike Burguer

Beer Bikes

Food Bike da Beer21. Foto: Facebook Beer21

– Diferente dos food trucks, que também são requisitados em eventos, as food bikes não precisam de muito espaço disponível. Aliás, muitas food bikes surgiram para suprir essa necessidade, já que não raro os trucks caíam na barreira do espaço físico.

Food Bike Brigaderô

Food Bike da Brigaderô

– Dependendo do budget, porte e proposta do evento corporativo, as empresas podem oferecer gratuitamente aos convidados as comidas e bebidas das food bikes contratadas. Ou podem disponibilizar o espaço para as food bikes venderem seus produtos ali. Para os donos das food bikes, estar presente em um evento corporativo é sempre uma boa oportunidade para divulgarem sua marca, receberem encomendas e feedbacks instantaneamente.

– As food bikes podem ser um atrativo gastronômico diferente em eventos corporativos de qualquer segmento. Por exemplo, em uma grande conferência, food bikes variadas podem se revezar e aparecer em intervalos diferentes do evento ao longo dia, em algum ponto estratégico onde haja um bom fluxo de pessoas, mas sem que filas (que podem se formar) interfiram na circulação.

Brownie Affair

Food Bike da Brownie Affair. Foto: Facebook Brownie Affair

– Além de todas essas vantagens, ter food bikes em um evento corporativo ainda mostra aos convidados que quem está oferecendo o evento é uma marca antenada, com espírito jovem e moderno. São marcas que estão de olho no que as pessoas gostam e por isso são grandes as chances de as food bikes serem super bem aceitas pelo público.

5 benefícios dos eventos corporativos

Você já parou para refletir sobre os benefícios dos eventos corporativos e como poderia aproveitar melhor a realização desses eventos na sua empresa? Ou já pensou em organizar um evento corporativo, mas se questionou se essa realmente seria uma boa estratégia de negócios? Ou ficou em dúvida se o investimento em um evento corporativo geraria retorno financeiro para sua marca?

Benefícios dos Eventos Corporativos

Se quaisquer dessas perguntas já passaram pela sua cabeça – ou outras ainda – saiba que um evento corporativo organizado e entregue de maneira profissional vai trazer sim grandes vantagens para sua organização.

Conheça 5 benefícios dos eventos corporativos

1) Gerar motivação: seja para lançar uma campanha de vendas, ou gerar maior colaboração entre funcionários de diferentes áreas para determinado projeto, o evento corporativo pode ser uma grande ferramenta para se cultivar um clima interno mais agradável e incentivar o trabalho colaborativo. Empregados mais motivados, todos sabem, são mais engajados e trabalham melhor. Portanto, é também uma ótima forma de reter os bons funcionários.

2) Aumentar o networking: eventos corporativos são uma excelente oportunidade para criar ou reforçar o relacionamento com clientes, parceiros, contatos estratégicos e prospects. Bons relacionamentos geram negócios mais frutíferos para empresas de qualquer segmento.

3) Fortalecer a marca: por meio dos eventos corporativos, as empresas podem mostrar para o mercado o quão inovadoras, estáveis e seguras são, ou como se preocupam com princípios ecológicos e socioeconômicos. Um evento corporativo bem organizado irá criar uma imagem positiva para a marca, o que é ótimo financeiramente, para a reputação da marca e para reforçar sua posição dentro da indústria em que atua. Aqui vale mais uma observação: especialmente em tempos de crise econômica, os eventos corporativos servem para mostrar tanto para os funcionários como para os clientes que a empresa permanece forte e segura e assim gera um clima de confiança.

4) Ser lembrado e reconhecido: para uma empresa ser bem sucedida e ter maior credibilidade, as pessoas precisam saber de sua existência. O buzz gerado por grandes eventos corporativos, seja das próprias empresas, ou os apoiados por elas, fazem as pessoas falarem mais da sua marca e reconhecê-la muito mais facilmente.

5) Lançar produtos ou serviços: os eventos corporativos são uma ótima oportunidade para os clientes conhecerem seus lançamentos de perto e tirarem dúvidas diretamente com quem entende. É também uma grande ocasião para as empresas coletarem feedback dos consumidores em tempo real, sobre os produtos e serviços que estão sendo divulgados, e analisarem o que está funcionando e o que pode ser aprimorado. Além desses fatores, esses eventos para lançamento de produtos ou serviços encorajam as pessoas a realizarem compras ali mesmo.

5 clichés que rondam os produtores de eventos (e não são verdade!)

O modo como se faz eventos mudou muito nos últimos anos. A tecnologia cada vez mais avançada, junto com mudanças culturais e econômicas, simplificou e renovou a forma como os eventos são produzidos e vivenciados.

Muita coisa que se dizia sobre os produtores de eventos acabou virando mito. E o que se vê hoje é uma grande desconexão entre o que esses profissionais parecem ser, para quem está vendo de fora, e o que eles realmente são. O Event Manager Blog separou cinco desses clichês. Veja se você concorda – e se sente falta de algum!

5 clichés que rondam os produtores de eventos

1) Produtores de Eventos são Produtores de Festa.
Quem nunca pensou/ouviu isso que atire a primeira pedra! Brincadeiras à parte, sempre que uma pessoa diz que trabalha com produção de eventos, os outros logo a imaginam organizando festas e já vêm logo pedir para fazer aquela festa de aniversário surpresa para o marido ou o casamento da filha. Nada contra quem organiza eventos sociais. Mas ninguém quer ser conhecido por algo que não faz, ou por fazer só aquilo, não é mesmo?

2) Produtores de Eventos estão sempre em festas.
Há quem pense que quem trabalha com eventos não faz outra coisa na vida além de ir às festas – quando na verdade o produtor de evento é quem menos aproveita o evento que organizou, seja uma festa mesmo, ou um show, congresso, workshop, etc. Na verdade os produtores de eventos são grandes planejadores que precisam supervisionar detalhes criativos como catering, decoração e entretenimento, e ainda trabalham ao lado de profissionais de outras áreas, todos buscando o mesmo objetivo – no caso de eventos corporativos, levar a marca do cliente de forma estratégica para um público específico.

5 clichés que rondam os produtores de eventos (e não são verdade!)

3) Tecnologia irá tomar o lugar dos Produtores de Eventos.
Na realidade a tecnologia é uma aliada do produtor de eventos, não uma concorrente. Apps que permitem a geolocalização ou transmissões em tempo real são super efetivos para dar mais força aos eventos. A tecnologia simplifica a comunicação com os convidados. E a automação economiza muito o tempo do produtor de eventos, que pode se dedicar melhor em outros aspectos do planejamento.

4) Produtores de Eventos só são necessários para grandes produções.
Claro, se uma empresa está planejando uma viagem de incentivos para o exterior, será necessário ter alguém para cuidar de toda a organização e logística. Contudo, um evento de menor escala também se beneficia – e muito – com a experiência de um profissional. O produtor de eventos sabe como buscar patrocínios e os melhores parceiros, conhece as tendências em comida e bebida, decoração, tecnologia, e muito mais.

5) Você é apenas tão bom quanto seu último evento.
Ok, isso pode ser verdade. A credibilidade de um produtor de eventos é proporcional ao sucesso do seu último evento. Entretanto, nessa indústria, há outro ponto mais importante: a inovação. É verdade que seus potenciais clientes, fornecedores e patrocinadores estarão de olho nos resultados de seu último evento, mas o produtor de eventos precisa estar sempre com foco no próximo evento. É ele que precisará superar as expectativas do evento anterior, e a responsabilidade, portanto, só aumenta.

Confira 5 clichés que rondam os produtores de eventos (e não são verdade!)

Como planejar um evento corporativo para integração de equipes

Organizar evento corporativo para integração de equipes é uma grande ferramenta de crescimento para as organizações.

Grandes corporações não apenas sabem bem disso, como colocam a integração de equipes como um dos elementos essenciais de sua cultura organizacional. E com resultados cada vez melhores elas comprovam que não estão erradas – empresas como Apple, Google e Coca Cola realizam, há tempos, grandes eventos corporativos com o intuito de integrar equipes.

Como planejar um evento corporativo para integração de equipes

A integração de equipes é essencial para que os colaboradores se sintam mais motivados. É o lema ‘espírito de equipe’ ou o ‘vestir a camisa’ sendo levados a sério. Termos banais? Pois saibam que eles estão longe disso. Funcionários motivados são mais felizes no ambiente de trabalho, criam uma atmosfera melhor, consequentemente acabam por produzir e inovar mais. Quando sentem que fazem parte do todo eles se esforçam pelo sucesso da empresa, e querem fazer parte disso.

E os eventos corporativos para integração de equipes têm esse fim, funcionam como um espaço de respiro da correria do dia a dia para instigar a comunicação, a criatividade e a colaboração tanto dentro de uma área da empresa, como entre as diferentes áreas.

Organizando um evento corporativo para integração de equipes

Como na realização de qualquer evento, um briefing bem elaborado é fundamental. Dele o produtor de eventos deve obter informações como:

1) Quem será o público do evento? Ele será dirigido a apenas uma área da empresa, ou todos os departamentos estarão envolvidos?
2) Qual o objetivo? O evento corporativo para integração de equipes pode fazer parte de uma campanha motivacional, pode ter como finalidade a apresentação dos resultados da empresa, pode ser um treinamento. Até mesmo eventos simples, como a comemoração dos aniversariantes do mês, é uma forma de evento corporativo para integração de equipes. Muito importante aqui é ter claro quem foi a área solicitante e qual a sua necessidade.
3) Qual a verba? Tenha a verba sempre em mente ao buscar os fornecedores, contratar o local, planejar o conteúdo e as atividades.
4) E o local? Dependendo do porte e do objetivo, o evento corporativo pode ser na própria empresa, porém muitas vezes o intuito é tirar o pessoal do ambiente diário e proporcioná-los uma experiência diferente.

Como planejar um evento corporativo para integração de equipes